Após pressão do Sintasa, Governo emite nota informando que funcionários da FHS não serão demitidos


Nesta quarta-feira, 11, um dia depois da paralisação de 24 horas dos servidores da Fundação Hospitalar de Saúde, ligados ao Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), da manifestação na frente da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e da caminhada até a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) para entregar uma carta aos deputados estaduais pedindo apoio para não demissão dos servidores, o Governo do Estado emite uma nota público comunicando que os funcionários não serão demitidos.

Na nota, o governo diz erroneamente que "decisão de não demissão já foi comunicada aos servidores e a seus dirigentes sindicais, por diversas vezes". O Sintasa já havia pedido reunião com o secretário Almeida Lima para discutir este ponto da possível demissão em massa, mas não teve o pedido atendido, inclusive, o sindicato pediu a intermiação do vice-governador do Estado, Belivaldo Chagas, e de deputados para que tentasse abrir o secretário para um diálogo. Foi preciso a manifestação dessa terça-feira e de outras ações do Sintasa para que o Governo se pronunciasse oficialmente sobre o assunto.

LEIA A NOTA

"O Governo de Sergipe comunica à sociedade, especialmente aos servidores da Fundação Hospitalar de Saúde e a seus representantes sindicais, que não haverá demissão de servidores caso a referida Fundação venha a ser extinta em decorrência de Processo Judicial em tramitação na Justiça Federal, requerido pelo Ministério Público Federal.
O governo ressalta que a decisão de não demissão já foi comunicada aos servidores e a seus dirigentes sindicais, por diversas vezes, pela própria secretaria de Estado da Saúde, e também aos senhores deputados estaduais, quando o secretário de Saúde esteve na Assembleia Legislativa. Não há, portanto, havendo, razão para preocupação desses servidores e dos dirigentes sindicais, inclusive por entender a importância de cada um no atendimento ao público no sistema de saúde estadual".