Acordo Coletivo: FHS apresentará contraposta no dia 19 de junho


Após pedido do Sintasa, acontece primeira reunião com mediador da SRT com a FHS para formalização do documento

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, participou da primeira reunião para formalização do Acordo Coletivo do Trabalho com o mediador da Superintendência Regional do Trabalho, Nilson Barreto Socorro, e o procurador-chefe da Fundação Hospital de Saúde (FHS), Thiago Davis, na manhã desta segunda-feira, 22, no prédio da própria SRT. O representante da fundação solicitou um prazo para apresentar uma contraproposta e o mediador e as duas partes acordaram para que seja entregue o documento na segunda reunião marcada para o dia 19 de junho, às 9 horas, na SRT.

No início da reunião, Augusto Couto lamentou o fato de que desde 2012 não consegue celebrar Acordo Coletivo do Trabalho com a FHS, apesar das várias tentativas de negociação pelo lado sindical. Inclusive, neste período, em alguns anos não houve reajuste anual salarial, o que representou prejuízo para os trabalhadores, que cobram uma ação do Sintasa. Daí o pedido do sindicato para que a SRT pudesse intermediar esta negociação.

Outro agravante citado pelo presidente do Sintasa é que a falta de negociação com a FHS, por ser a maior fundação, acaba atrapalhando as negociações com as demais fundações estaduais ligadas à saúde, a exemplo da Fundação Estadual da Saúde (Funesa) e Fundação Parreiras Horta. Disse também que cláusulas do último Acordo não está sendo cumprindo, gerando mais insatisfação da categoria que já mira por paralisação. “Estamos nos segurando porque a nossa prioridade é a negociação para a formalização do Acordo Coletivo do Trabalho”, disse Augusto Couto, acompanhado pelo advogado do Sintasa, Adalício Morbeck.

Pelo lado da FHS, o procurador-chefe, Thiago Davis, disse que tem interesse em costurar acordos coletivos, mas não na dimensão do pretendido pelo Sintasa. Neste momento, poderia avançar na questão do auxílio-alimentação, e eventualmente, no auxílio-creche. No final da fala, mostrou-se disposição para apresentação uma contraproposta, mas que demandaria prazo para apresentar este posicionamento. Foi quando ficou acordado nova reunião para o dia 19 de junho.